50 dicas para ganhar dinheiro

A revista Business 2.0 perguntou a 50 das “mentes mais brilhantes” dos negócios como você pode ganhar dinheiro em 2007. A maioria dos entrevistados é formada por integrantes da indústria de tecnologia e da “nova economia”, incluindo fundadores do Google (Sergey Brin), do MySpace (Chris DeWolfe), do YouTube (Chad Hurley), do Digg (Kevin Rose) e do Flickr (Stewart Butterfield).

A publicação também ouviu nomes consagrados dos negócios, como Howard Schultz, presidente da Starbucks, Stephen Covey, autor de Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, Donald Trump e Nancy Pelosi, eleita presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos. A compilação, disposta em uma frase e uma descrição para cada conselho, está disponível em inglês no site da Business 2.0.

As frases, traduzidas para o português, você confere abaixo:

“Obtenha sucesso com simplicidade”
Sergey Brin, co-fundador do Google

“Mantenha as redes sociais sociáveis”
Chris DeWolfe, co-fundador do MySpace

“Transforme a sua paixão em um império”
Rachael Ray, chef, escritora e empreendedora

“Aprenda a dizer não (mesmo que você seja conhecido como Dr. Sim)”
Richard Branson, fundador e presidente do Virgin Group

“Atreva-se a ser um empreendedor social”
Howard Schultz, presidente da Starbucks

“Dê a sua empresa iniciante a chance de lutar”
Chad Hurley, co-fundador do YouTube

“Seja fiel aos seus valores”
Anne Mulcahy, presidente da Xerox

“Evite a revolta da sua equipe (com chocolate, se necessário)”
Michael Scott, gerente regional da Dunder-Mifflin Paper Co.

“Pense grande”
Michael Dell, fundador e presidente da Dell Computer

“Execute um grande segundo ato”
Andre Agassi, co-foundador da Agassi Graf Development

“Deixe os usuários comandarem o show”
Kevin Rose, fundador do Digg

“Obtenha sucesso com simplicidade”
Eric Schmidt, presidente do Google

“Esforce-se pela autoridade moral”
Stephen Covey, vice-presidente da FranklinCovey e autor de Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes

“Transforme uma queda em uma recuperação”
Carly Fiorina, ex-presidente da HP

“Transforme sessões de protesto em brainstorms
Edgar Bronfman Jr., presidente do grupo Warner Music

“Busque grandes recompensas em pequenas idéias”
Muhammad Yunus, fundador do Banco Grameen e vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 2006

“Seja obcecado por soluções, não problemas”
Donald Trump, presidente da Organização Trump

“Transforme a sua maior fraqueza no seu maior bem”
Reed Hastings, co-fundador e presidente da Netflix

“Force os investidores para o verde”
Vinod Khosla, fundador da Khosla Ventures

“Compartilhe o crédito”
Nancy Pelosi, líder democrata na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos

“Confie nos seus consumidores e eles irão amá-lo em retorno”
Craig Newmark, fundador e presidente do Craigslist

“Transforme a sua paixão em um império”
Helen Greiner, co-fundador e presidente da iRobot

“Descubra a sacada real da economia virtual”
Philip Rosedale, fundador e presidente da Linden Labs

“Confie no seu instinto”
Chris Albrecht, presidente da HBO

“Crie um blog para criar o seu negócio”
Fred Wilson, gerente de parcerias da Union Square Ventures

“Prospere na sombra de um gigante”
Bruce Chizen, presidente da Adobe Systems

“Atreva-se a ser um empreendedor social”
Laura Scher, presidente da Working Assets

“Tem que ser mais do que somente por dinheiro”
Stewart Butterfield, co-fundador do Flickr

“Deixe eles verem o seu suor”
Pamela Thomas-Graham, presidente do grupo Liz Claiborne

“Mantenha antigas marcas sem pó”
Alan Hassenfeld, presidente da Hasbro

“Preste atenção na corrente predonimante”
Brad Garlinghouse, vice-presidente senior de comunicações e comunidades do Yahoo

“Esteja disposto a cruzar os corredores”
Malcolm Gladwell, autor de O Ponto de Desequilíbrio

“Seja comprado pelo Google”
Joe Kraus, co-fundador e presidente do JotSpot

“Pratique descontentamento construtivo”
Mike Eskew, presidente da UPS

“Não seja um queimador de pontes”
Debra Lee, presidente da BET Networks

“Dê a sua empresa iniciante a chance de lutar”
Ram Shriram, empreendedor do Vale do Silício e diretor do Google

“Faça da sua marca parte da discussão”
Jeff Hicks, presidente da Crispin Porter & Bogusky

“Coloque-se no centro das atenções”
Tim O’Reilly, fundador e presidente da O’Reilly Media

“Faça valer a pena a diferença entre os sexos”
Brad Anderson, presidente da Best Buy

“Reinvente você mesmo, não apenas a empresa”
Andrea Jung, presidente da Avon

“Seja um perturbador da indústria”
Marc Benioff, presidente da Salesforce.com

“Não complique-se com uma coisa boa”
Paul Jacobs, presidente da Qualcomm

“Pratique diferenciação extrema”
Ron Sargent, presidente da Staples

“Proteja a marca chamada você”
Mireille Guiliano, presidente da Cliquot e autora de Mulheres Francesas Não Engordam

“Refaça campanhas publicitárias para a era digital”
Jeff Goodby, co-fundador da Goodby Silverstein & Partners

“Pratique fusões e aquisições baseadas no senso comum”
Guerrino De Luca, presidente da Logitech

“Alavanque a sua rede pessoal”
Karen Francis, presidente da Publicis & Hal Riney

“Seja um construtor de agitações inteligentes”
Brian McAndrews, presidente da aQuantive

“Continue desaprendendo para manter-se inteligente”
Gary Hamel, consultor e autor do livro Liderando a Revolução

“Pregue para a tecnologia”
John Chambers, presidente da Cisco

Boas razões para ter um plano de Previdência Privada

Muitas pessoas podem se perguntar porque iniciar um plano de previdência complementar se já contribuem mensalmente para o INSS. Em primeiro lugar, é preciso ressaltar que a previdência pública está em crise não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Boas razões para ter um plano de Previdência Privada:

Previdência é mais vantajosa que poupança

Usados de forma adequada, visando o longo prazo, e observando as taxas cobradas, os planos de previdência são a melhor maneira de acumular reserva de capital para sua aposentadoria. Isso também ocorre e é amplificado quando comparado à aplicação na caderneta de poupança. As vantagens da previdência privada são o regime tributário de alíquotas decrescentes, a isenção da cobrança do Imposto de Renda sobre o ganho da capital durante a fase de acumulação e os papéis de renda fixa atrelados à Selic. Na poupança não há cobrança de imposto sobre o rendimento, mas ele é substancialmente inferior ao oferecido pelos fundos de previdência, por conta do redutor que incide sobre a Taxa Referencial (TR).

Para se ter uma idéia, enquanto o CDI, referência para os planos de aposentadoria de renda fixa, subiu 19,15% em 2005, a poupança teve retorno de apenas 9,2%. Ou seja, o dinheiro aplicado na previdência rendeu muito mais do que os recursos investidos na poupança. Este ano, a Selic deve atingir 16% na média, enquanto a poupança deve cair para cerca de 8%.

O efeito sobre o capital cresce na medida em que você possui mais recursos aplicados e com o tempo decorrido. Ou seja, se tivesse R$ 100 mil de reserva acumulada na previdência, seu capital poderia ter subido 19,15% em 2005, precisando apenas descontar a taxa de administração. Supondo 2% de gerenciamento, o retorno seria próximo de 17%, ou R$ 17 mil. Na poupança o mesmo capital teria rendido R$ 9,2 mil. Se os recursos ficassem aplicados por 10 anos, o efeito dos juros seria muito maior e o imposto pago sobre o saque seria pequeno perto do ganho de capital. Na previdência, o valor acumulado poderia ser o dobro do da poupança, conforme a taxa média de juros do período. É absurda a diferença de retorno e recomendável a aplicação na previdência para aproveitar os juros elevados vigentes na economia brasileira.

CVM alerta investidores quanto aos riscos de investimento no Mercado Forex

Após escrever um artigo sobre O que é Forex, resolvi aprofundar mais no assunto e descobrir que em como qualquer negócio esse mercado também tem seus risco, para mais detalhes leia o texto abaixo extraido da wikipedia.

Empresas captam recursos do público com promessas irreais de rendimentos, girando de 30% a 60% ao mês

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) comunica ao público que determinou a suspensão, a partir de 30/08/05, das atividades de intermediação e administração de carteira de valores mobiliários executadas pela MDD Publicidade e Marketing Ltda.

A Superintendência de Fiscalização dessa Autarquia, após inspeções na referida empresa, verificou que ela está atuando de forma irregular no mercado de valores mobiliários, captando recursos junto ao público para investimento em derivativos de câmbio com promessa de enorme rentabilidade, que varia de 30% a 60% ao mês. Os recursos captados são supostamente acumulados em uma conta coletiva para aplicação no mercado denominado Forex (Foreign Exchange). As operações realizadas nesse mercado envolvem negociações com pares de moedas estrangeiras, revelando a existência de instrumentos financeiros por meio dos quais são transacionadas taxas de câmbio. Tais operações se caracterizam como contrato derivativo e, portanto, enquadram-se no conceito legal de valor mobiliário. Dessa forma, a atuação da MDD teria de ser autorizada e fiscalizada pela CVM, nos termos dos arts. 15 e 23 da Lei no. 6.385/76.

Além disso, a área técnica da CVM considerou que as informações constantes do site da MDD Publicidade e Marketing Ltda. induzem que a empresa, além da atividade de captação, presta serviços relativos à administração de carteira de valores mobiliários.

Esta não é a única empresa que está atuando nesse mercado sem autorização da CVM, com promessas irreais de rentabilidade. Há outras fiscalizações em curso. Por isto, a CVM quer alertar aos investidores em geral para certificarem-se, antes de realizarem investimentos, quanto ao registro das empresas na CVM ou em outra entidade reguladora competente, quando for o caso. A CVM também chama a atenção dos investidores em geral para a necessidade de analisar com muita atenção investimentos que prometam rentabilidade superior aos dos demais produtos de investimento existentes no mercado, pois na maior parte das vezes se estará diante de empresas atuando sem autorização.

A MDD Publicidade e Marketing Ltda., com sede em Campos de Goytacazes, no Rio de Janeiro, foi criada em maio de 2005. Já contabiliza, nesses poucos meses de operação, uma captação de cerca de R$ 1 milhão por meio de investimentos de aproximadamente 500 clientes. As informações levantadas pela fiscalização da CVM, nesse caso, já foram encaminhadas ao Ministério Público e ao Banco Central.

O não-cumprimento da decisão da CVM, expressa na Deliberação no. 487, publicada hoje, acarretará à empresa multa cominatória diária, no valor de R$ 500 (quinhentos reais), sem prejuízo da responsabilidade pelas infrações já cometidas antes da publicação desta Deliberação, com a imposição da penalidade cabível, nos termos do art. 11 da Lei no. 6.385/76.

Veja a íntegra da Deliberação CVM no. 487. Fale com a CVM

Muito em breve vocês verão mais artigos sobre como investir no Mercado Forex.

1 13 14 15