Opção de Empréstimo mais barato para o consumidor!

Operações de Crédito Pessoal e de Crédito Direto ao Consumidor!

Uma tradicional linha de crédito disponível para pessoas físicas é derivada das operações de empréstimo parcelado para compra de bens de consumo duráveis. Tempos atrás, a moda era tomar dinheiro em banco por meio do desconto de uma nota promissória; hoje, o mais usual é o banco oferecer uma operação de crédito pessoal para ser liquidada em parcelas mensais iguais.

Essas operações tiveram origem nas linhas de CDCCrédito Direto ao Consumidor -, utilizadas pelo comercio varejista para vender bens de consumo duráveis sem a incidência de impostos por conta da venda a prazo: a partir do preço a vista da nota fiscal, a operação de financiamento fica sujeita apenas ao imposto sobre operações financeiras, mais conhecido por IOF.

As operações de CDC feitas diretamente pelos bancos para financiar bens duráveis, como automóvel, geladeira, ar condicionado etc., costumam ser vantajosas para o cliente dos bancos. A compra pode ser feita à vista pelo melhor preço e o financiamento obtido diretamente do banco que tiver a melhor taxa, conforme se viu no capitulo anterior.

As operações de Crédito Pessoal Parcelado constituem uma linha de credito concedida para o cliente que necessita de dinheiro por algum tempo e é amortizada com juros em parcelas mensais iguais, com taxas bem mais suportáveis que aquelas dos cheques especiais. Por isso mesmo é que é recomendada para quem tiver se distraído na sua utilização, de modo a estancar a fúria dos juros que acaba naquela bola-de-neve impagável.

Dicas de Finanças – Conheça seu Orçamento

Orçamento DomésticoQuanto você ganha a mais (ou a menos) do que gasta? Em outras palavras, quanto você tem disponível para gastar?

Quanto você deve – em contas que não pode pagar, empréstimos ou compras parceladas no cartão de credito?

Quanto do seu orçamento vai para as despesas domesticas? Quando vai para as despesas fixas e quais elas são?

Quanto é investido nas crianças, de sapatos novos a aulas de natação?

E Quanto a roupas, férias, despesas com o carro, decoração, jardinagem, compras de Natal, vida social, hobbies?

Para onde vai o restante?

Veja, se você quiser mesmo reduzir os gastos precisa saber exatamente o que gasta hoje, o que esta acontecendo e quanto sobra – ou falta – no final do mês. É claro que é possível conseguir guardar um pouco de dinheiro aqui e ali, mas sem uma compreensão clara do seu orçamento é simplesmente impossível identificar os gatos dispensáveis, onde é preciso economizar mais, quais são os gastos realmente necessários e assim por diante.

Então, sente-se com a boa e velha dupla caneta e papel e calculei o que entra e o que sai e para onde vai o dinheiro. Posso afirmar que, feito isso, você já se sentirá melhor apenas por ter as respostas para todas aquelas perguntas.

Como Quitar a Dívida do Cheque Especial?

Como pagar dívida do cheque especialCusto do cheque especial Apesar de todo esforço para controle do orçamento, vai chegar um dia em que poderá ser necessário tapar um buraco nas finanças caseiras,s eja porque uma atividade de lazer consumiu mais do que se planejava ou porque um imprevisto qualquer impactou o caixa da família.

Nesses casos de necessidade de cobrir o caixa imediatamente, e por curto espaço de tempo a solução é usar o cheque especial dos bancos, linha de crédito quase sempre disponível para todos os bons clientes

Como se sabe, o cheque especial é um empréstimo standy by , ou seja, o valor aprovado fica disponível para ser usado a qualquer tempo e só custa juros durante o tempo em que for utilizado.

O problema é que o custo do cheque especial é muito alto, com taxas de juros que resultam em valores impagáveis, se o uso for por muito tempo. Para quebrar um galho de uma emergência, uma utilização vapt-vupt, dá para agüentar, já que se estará pagando essa taxa de juros alta por muito pouco tempo.

Ficar usando o cheque especial por mais de alguns poucos dias é um outro suicídio financeiro e levará por água abaixo todo o esforço de controle das contas domésticas.

Mas, apesar de todos os conselhos, às vezes acontece de crescer a tal bola-de-neve do cheque especial. A soluções é detectar o mais rápido possível a dificuldade de repor o saque e partir para solicitar ao banco uma operação de credito pessoal (empréstimos feito numa linha de credito que tem juros bem menores, podendo ser parcelado), de modo a cobrir o custo extorsivo das taxas de jursos do cheque especial.

Como Pagar o Cheque Especial – Quando o cheque especial está sendo usado “direto”, fugindo à sua finalidade de quebra-galho, o banco sabe que o risco está aumentando e aceita oferecer uma operação de salvamento, com taxas razoáveis, bem mais baixas, para quitar o saldo devedor do cheque especial. Assim, quando o saldo devedor é quitado por esse empréstimo, o cliente fica sem o limite do cheque especial até pagar o financiamento.

Para se ter uma idéia de como crescer a bola-de-neve para quem fica utilizando o cheque especial o tempo todo, basta uma informação sobre quanto custa ficar devendo R$ 1.000,00 durante 8 meses na taxa de 19% ao mês; após esse prazo a dívida é mais do que o dobro do valor: R$ 2.143,59! É pouco ou quer mais

1 2 3 4 31