Cresce o uso de cartão entre os consumidores de baixa renda

O faturamento dos cartões de crédito para baixa renda cresceu R$ 36,1 bilhões para R$ 42 bilhões, nos anos seguintes, o icrescimento foi na ordem de 28%, com previsão de alta de 24% neste ano, para R$ 85,4 bilhões.

De acordo com o diretor de Marketing de Cartões do Itaú, Fernando Chacon, dentre os motivos para o crescimento acentuado nos últimos três anos, está a maior utilização do cartão private label (cartão de lojas).

“Grandes lojas de varejo fornecem esses cartões que garantem acesso amplo, geral e irrestrito ao crédito. É isso que faz com que aumente a representatividade das pessoas de baixa renda no mercado de cartões de crédito”, afirmou.

Motivos

Outro motivo apontado por Chacon, em evento de divulgação da pesquisa “Baixa renda: o cartão como instrumento de crédito”, realizado nesta quinta-feira (25), é a situação macroeconômica do Brasil, mais especificamente a geração de emprego.

O diretor de Marketing de Cartões disse que o amadurecimento da relação do público com o banco e o fato de a instituição não ser mais vista como vilã do orçamento são também responsáveis pela adesão dos clientes de baixa renda aos cartões de crédito.

Mercado

Consumidores de baixa renda, de acordo com a pesquisa, são aqueles que recebem quantia de R$ 150 a R$ 1.499. A representatividade dessas pessoas na quantidade de cartões é de 67%, ante apenas 33% das demais rendas.

Com relação ao faturamento do setor, por sua vez, a projeção é de que este ano a baixa renda tenha representatividade de 47,1%, ante 52,9% das demais rendas. Há três anos, as pessoas que recebiam entre R$ 150 e R$ 1.499 eram responsáveis por 41,5% do faturamento.

Ainda segundo Chacon, em 2009, a baixa renda já deve ser responsável pela maior parte do faturamento do mercado de cartões de crédito, devido à tendência de aumento da renda pelo crescimento da economia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *