Vale a pena deixar o dinheiro na caderneta de poupança?

PoupançaO investimento em caderneta de poupança foi muito incentivado pelo Governo federal nas últimas décadas do século XX e tornou-se uma das mais tradicionais aplicações do mercado financeiro brasileiro. A grande popularidade desse tipo de investimento deve ser atribuída à baixa complexidade operacional quando comparada a outras aplicações.

Além de o investidor poder aplicar pequenas quantias (a  partir de R$ 10), é possível estimar com certa precisão e baixíssimo risco quanto será o rendimento dessa modalidade de investimento no ato da aplicação, independentemente da instituição financeira em que os recursos sejam aportados.

Poupança – Rentabilidade, risco e liquidez.

A caderneta de poupança remunera os investidores á taxa de juros de 0,5% ao mês aplicada sobre os valores atualizados pela Taxa Referencial (TR) na data de aniversario da aplicação. Como a caderneta de poupança trabalha com datas de aniversário dos depósitos, dias nos quais serão creditados os juros devidos do período, ao se escolher essa opção, quantias fixas devem ser aplicadas de preferência sempre no mesmo dia de cada mês. Caso o investidor deseje sacar fora da data de aniversário, o investimento incorrera em perda de rentabilidade. Assim, apesar de possuir liquidez diária, as regras da caderneta de poupança prejudicam a rentabilidade dos investidores que necessitam fazer um resgate fora da data de aniversário, o que limita a liquidez desse tipo de investimento.

O prazo da caderneta de poupança é indefinido: o investidor pode deixar o dinheiro rendendo pelo tempo que desejar. O risco é considerado um dos mais baixos entre as aplicações do mercado financeiro brasileiros;  além da baixa complexidade e da rentabilidade fixa, os recursos aportados são garantidos pelos Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Dessa maneira, no caso de a instituição captadora não conseguir honrar os depósitos, cada investidor tem direito ao ressarcimento de até R$ 60 mil.

As vantagens e desvantagens de depositar seu dinheiro na caderneta de poupança

A principal vantagem da caderneta de poupança é o fato de esse investimento possuir regras bastante simplificadas e padronizadas o que facilita seu entendimento por parte dos investidores de renda mais modesta. Também não é cobrado o Imposto de Renda (IR) de aplicadores caracterizados como pessoa física e pessoa jurídica sem fins lucrativos (no caso de pessoa jurídica com fins lucrativos, é aplicada a tabela regressiva incidente sobre rendimentos brutos em investimentos de renda fixa). Além disso, os depósitos são assegurados pelo FGC, até R$ 60 mil por investidor.

No entanto tamanha segurança é acompanhada de baixos rendimentos. Contudo, com as sucessivas quedas das taxas de juros no Brasil, a caderneta de poupança voltou a ser um potencial competidor de fundos de renda fixa, DI, de curto prazo e CDBs. Isso se deve principalmente em função da incidência de Imposto de Renda (em fundos e CDBs) e de taxa de administração (somente no caso de fundos), impactando negativamente o retorno dessas aplicações. Assim, para pequenas aplicações e por curto período de tempo (geralmente inferior a um ano), a caderneta de poupança esta se tornando viável à medida que a taxa de juros no Brasil recua.

One comment

  • osmar antonio barreto

    gostaria de saber caso eu coloque dinheiro na caderneta de poupança em uma data, eu já poderei tirar algum dinheiro na data posterior? é cobrada alguma taxa na caderneta de poupança? desde já agradeço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *